A lição que devemos aprender

O que achou deste post?
 A fim de esclarecer para vocês os fatos sobre a Operação Carne fraca, foi divulgada nesta última terça feira uma nota conjunta  da Polícia Federal e o Ministério da Agricultura :

Sobre a Operação Carne Fraca, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a Polícia Federal esclarecem

1. A reunião ocorrida hoje (21) entre o Secretário Executivo do MAPA, Eumar Roberto Novacki, e o Diretor Geral da PF, Leandro Daiello Coimbra, teve como objetivo fortalecer a relação entre as instituições e reafirmar o compromisso de ambas em elucidar os fatos investigados.

2. A operação deflagrada na última sexta-feira (17) tem como foco a eventual prática de crimes de corrupção por agentes públicos;

3. Embora as investigações da Polícia Federal visem apurar irregularidades pontuais identificadas no Sistema de Inspeção Federal (SIF), tais fatos se relacionam diretamente a desvios de conduta profissional praticados por alguns servidores e não representam um mau funcionamento generalizado do sistema de integridade sanitária brasileiro. O sistema de inspeção federal brasileiro já foi auditado por vários países que atestaram sua qualidade. O SIF garante produtos de qualidade ao consumidor brasileiro.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Polícia Federal

Assim como tudo, em qualquer outra situação, não podemos generalizar os fatos. A verdade é que há anos, o setor pecuarista vem lutando para desenvolver e manter o nome do Brasil entre os principais produtores e exportadores de proteína animal de qualidade e segura do ponto de vista alimentar, e não seria justo assumirmos essa postura julgando os atuantes da cadeia como um todo.

Eu acredito que esse caso é um problema de fraude localizado, mas que devemos dar muita atenção para que o setor consiga se recuperar ainda com mais força. Com a ajuda de especialistas é possível fazer uma gestão de risco e implementar políticas de segurança de qualidade ainda melhores do que as que já possuímos para que o nosso governo possa informar aos nossos parceiros comerciais, em breve e de maneira oficial, que a Operação Carne Fraca não revelou problemas de sanidade animal ou de saúde pública.

Estive acompanhando diversos especialistas em entrevistas e, é claro que qualquer coisa que venha afetar nossa cadeia produtiva terá um impacto muito grande na mídia. Concordo muito com Jogi H. Oshiai quando ele diz que acredita que existam irregularidades e corrupção no setor de carnes, mas temos de aproveitar essas experiências negativas para transformá-las em ações positivas, inclusive para criar mais credibilidade e uma melhor imagem do Brasil no exterior.

Precisamos adotar uma postura diferenciada que combata essa pequena parcela de profissionais fraudulentos que têm nos prejudicado constantemente. O nosso país tem problemas de conduta e somente assumindo uma postura íntegra e sendo espelho de bons hábitos é que vamos ganhar a credibilidade que tanto buscamos. Por um setor ainda mais forte, por uma gestão de líderes de verdade, por uma carne ainda mais forte.

Entenda a Operação pelos Infográficos do G1 :

 (Foto: )
Referências:
agricultura.gov.com.br
g1.globo.com
The following two tabs change content below.

Mirella Cais

Mestre em Gestão Internacional na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e Engenheira Agronôma pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP Jaboticabal). Associada à Biomarketing, TCAinternacional e Núcleo de Estudos do Agronegócio da ESPM. Produtora/apresentadora do Programa Agrossociedade a Nova Geração.

Latest posts by Mirella Cais (see all)

Mirella Cais

Mestre em Gestão Internacional na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e Engenheira Agronôma pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP Jaboticabal). Associada à Biomarketing, TCAinternacional e Núcleo de Estudos do Agronegócio da ESPM. Produtora/apresentadora do Programa Agrossociedade a Nova Geração.

2 comentários em “A lição que devemos aprender

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *